Arquivos da categoria: Futebol

Posts menos importantes que giram em torno das paixões do Futebol.

Parabéns Tostão – O verdadeiro herói da Copa de 70

Hoje os jogadores de futebol considerados “heróis” receberam o tal “prêmio” de 100 mil reais e outras regalias, inclusive aposentadoria especial. Demagogia política associada ao futebol que como todos sabemos é uma espécie de circo que faz girar grandes montantes de dinheiro. E não demagogia do Tostão como diz Carlos Alberto em entrevista à Época (link abaixo). Aldo Rebelo diz que as regalias representa muito pouco diante do feito – isso é demagogia Carlos Alberto. Uma coisa é benefício e regularização da profissão dentro da lei, e jogador de futebol é uma profissão, outra coisa completamente diferente é dinheiro público sendo despejado como prêmio e aposentadorias especiais para um grupinho considerado herói. 

Em tempos o cada um quer levar vantagem para si, em tempos onde todos cobram honestidade de todos mas não olha para o próprio umbigo, o que Tostão fez não foi um ato de demagogia, foi uma atitude de resistência e honestidade. A vida resiste, outras possibilidades de vida são possíveis, ainda que a vida dominante tenta sufocar as diferenças.

Conheça um pouco mais sobre Tostão e sua recusa através da entrevista da Época em julho/2011  

Carlitos Tevez é do Corinthians novamente

tevez no timaoO Corinthians nega todas as possíveis voltas de Carlitos, muito devido o jogador ser representado pelo Kia, desafeto do Andrés Sanchez, presidente do clube.

No entanto, abertamente descontente com o Manchester City, seu atual clube, Carlitos declarou em resposta ao repórter que perguntou sobre sua volta: “Se me querem eu volto!”.

Diante da resposta, alguns comentaristas já dão o jogador como do Timão. E parece que o assunto já não é mais sigilo no Corinthians, que já emitiu propostas oficiais ao Manchester City para ter o futebol do jogador por empréstimo.

A questão agora vai ser os acertos de valores entre os clubes e chegar a um denominador comum. O Manchester City declara que só vende o jogador, o Corinthians não teria esse dinheiro, no entanto, Carlitos não quer mais voltar ao seu atual clube, o que mudaria os rumos da negociação.

Carlitos Tevez é do Timão novamente!

Estética do futebol

Talvez eu devesse ver futebol só como futebol, mas isso ultrapassa os aspectos das massas alienadas e se mistura à vida. Teatro das paixões, explosão de gritos, quase dionisíaco, máquina de desgovernar o coração… Com toda a operacionalização e comercialização do futebol ele ainda não deixa de ter a sua força de afetação estética. Pode ser percebido para além de um jogo e se vive para além do ganhar ou perder uma partida, um campeonato de futebol. A questão não é um campeonato em jogo, mas os afetos que se vivem com a situação da partida de futebol. Todavia, uma partida de futebol pode ser só uma disputa de quem acerta a bola mais vezes na rede do adversário e o corpo passa indiferente com o placar (des)favorável.

Raras vezes há partidas que são verdadeiras batalhas épicas que acontecem na arena do corpo que é estraçalhado pelos afetos, e isso é o que realmente importa, a bola rolando é só uma metáfora que se vive como questão de emprego, de lucro, de técnica, de esporte, de… mas também como singularidade estética. Nessa situação tão rara onde se vive uma batalha épica sem precisar derramar sangue, ainda que este corra desgovernado, há um sentimento de contentamento mútuo por ter vivenciado tal situação. É o corpo de ambos os torcedores que agradece, e não se trata aqui daquele sentimento anêmico que os adultos costumam dizer às crianças, para prestar caridade ao perdedor, de que todos ganham, mas de uma espécie de contentamento dionisíaco onde o ganhar e o perder desaparecem da dimensão simbólica para o lugar de acontecimento das paixões que se sucederam.

Há qualquer coisa de desgraçante numa situação onde se toma um gol aos 48 minutos do segundo tempo, de alegria na situação reversa e a batalha nem precisa ser tão épica, tampouco ser uma batalha, mas não é um somar ou não pontos: são as circunstâncias desse teatro sem palavra articulada. Para aquele que assim se deixa afetar, futebol como teatro sem palavra articulada, talvez esteja condenado a esse vício: pode até compreender o futebol como fenômeno de massa, capturá-lo nas teias da discursividade acadêmica, da crítica econômica-social… muito bem, mas no final de toda essa tagarelice gargalha de si mesmo com um e daí?!

Corinthians 2 x 3 Internacional é uma maneira prática que encontramos de mentir sobre uma partida de futebol. Há o contentamento daquele que vibra com o seu time que marca o “gol” inesperado aos 48 do segundo tempo, há a mudança radical da tonalidade afetiva positiva para a negativa daquele que acabara de ver seu time empatar com possibilidades de ter “ganhado”… se tais afetos são tão intensos é porque eles comunicam muito de vida através dos signos metafóricos que ultrapassam dois times adversários que buscam colocar a bola, usando o corpo mas com as pernas, em um dada marcação de um campo retangular.