O artista e a realidade social – Eduardo Marinho

Tomei conhecimento do vídeo abaixo através do comentário de uma leitora do post “O esvaziamento da Arte“. Sinto-me na obrigação de torná-lo mais manifesto, como ilustração, como prova concreta de que o céu contemporâneo não é somente niilista, que há contrapontos, pontos de tensão. Eduardo Marinho é um artista e poeta anônimo de contestação social, da voz à situação social e política sem utilizar das doces palavras academicizadas, até por conta disso, por sua condição de “semi-analfabeto” que “ousa” ter um blog e fazer arte, que ousa falar de coisas que incomodam a elite, não escapa de algumas hostilizações no Youtube.

A questão não é concordar ou discordar de Eduardo Marinho, antes das ideias há o homem de coragem, que busca perseverar sua singularidade, sua vontade de potência… Talvez, aqueles que o atacam com comentários hostis, sejam representações de muitos que, diante do desejo da família pela escolha do Direito a Arte, optam por seguir o “seguro” caminho do patriarca.


… achei o marxismo ótimo, mas aí eu conheci os marxistas, achei os marxistas péssimos! Péssimos! – Eduardo Marinho, artista anônimo concreto sem terno e gravata, e de coragem.

O Saber não é exclusividade do sujeito do conhecimento obeso de Lattes e anêmico de vida.

O blog de Eduardo Marinho é o Observar e absorver, e lá você encontra além de poesias e textos, obras de arte que não nos deixa passar sem incômodo.

Invasão de Favela. Eduardo Marinho, 2007.

Comentário(s): 5

  1. Margareth Bravo

    Olá Adriel!
    Estive aqui li o post e vi o vídeo, e não resisti, senti vontade de entrar no seu fluxo e no do balaio variado, assim uns riachinhos vão se encontrando… Citei você e o blog balaio variado no meu post.
    Adorei seu texto! Beijos

    Responder
  2. Balaio Variado

    Ainda bem que contamos com a coragem de pessoas, que fazem o que nasceram para fazer e que estão prontos a quebrar as regras impostas pelos outros.
    Este é um exemplo de como a família e a sociedade, tentam
    oprimir e moldar um ser humano. É um exemplo da falta de
    visão e da ignorância da maioria das pessoas. É um exemplo
    de quanto querem acabar com a sua inteligência e força de
    expressão e torná-lo mais um que segue algo convencional.
    Um exemplo de como alguns pais, ao invés de ficarem orgulhosos de seus filhos artistas, tentam incessantemente
    modificá-los e torná-los médicos (sem vocação), advogados
    ou se “artistas”, que sejam famosos.
    Quanta ignorância… pensar que artistas são menos capazes,
    menos inteligentes, menos trabalhadores, menos, menos e menos.

    Parabéns pelo post e que bom que gostou da minha indicação!!! Aproveito e indico mais um vídeo.

    http://balaiovariado.blogspot.com/2010/01/menina-condenada-morte-baseado-em.html#links

    Abraços

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *